O Desenvolvimento do Budismo Zen no Brasil

Este artigo, escrito por Cristina Rocha e veiculado na Nanzan University, relata a história do Budismo no Brasil desde os anos 50 com Takashina Roshi. Destacam-se descrições sobre Tokuda San, Khaner San, Alfredo Aveline (conhecido como Lama Padma Samten), Arthur Shaker, assim como a influência de Moriyama Roshi Daiju San, Ricardo Sasaki, e outros personagens significativos.

Este artigo explora o papel histórico do templo Busshinji como um centro do Budismo no Brasil para não-japoneses. O Busshinji foi estabelecido pela Sotoshui como um betsuin (templo filial) na cidade de São Paulo em 1956. Baseando-me em entrevistas com os primeiros adeptos, pretendo argumentar que muitos frequentaram o Busshinji pela primeira vez, pois era o único templo budista que oferecia meditação em São Paulo. Para esses seguidores, foi o primeiro ponto de contato com o Budismo. Muitos depois saíram para se tornarem figuras proeminentes de outras escolas budistas no Brasil. Portanto, é minha convicção que o Busshinji desempenhou um papel histórico significativo na expansão do Budismo no Brasil.

– Cristina Rocha

Cristina Rocha FAHA é uma professora de antropologia brasileira-australiana na Western Sydney University. Ela trabalha na interseção entre globalização, migração e religião. Ela escreveu sobre Budismo, espiritualidade da Nova Era e, mais recentemente, sobre pentecostalismo.

O artigo original tem o título “All Roads Come from Zen: Busshinji as a Reference to Buddhism” e está disponível completo abaixo em inglês.

Cadastre-se na Nossa NewsLetter!

Inscreva-se na nossa lista de e-mail e receba as últimas  novidades da
Ação Paramita!

Contatos